A cirurgia para aumentar a mama, também conhecida como cirurgia de prótese mamaria, é realizada com implantes de silicones e costuma ser indicada a mulheres com seios naturalmente pequenos, em casos de pacientes com mamas desproporcionais e que passaram por situações de câncer ou, ainda, quando, por algum motivo, percebem a redução do seu tamanho (amamentação, perda peso, entre outros).

A ninfoplastia é uma cirurgia plástica para correção de deformidades nos pequenos lábios vaginais, nos grandes lábios e no monte de vênus. As queixas das pacientes são relacionadas à dor local, incômodos estéticos, infecções urinárias e vulvovaginites.

Atualmente, há diversos tipos de cirurgia plástica para mamas capazes de atender às mais variadas expectativas das pacientes. Dentre as alternativas é possível optar por aumentar (mamoplastia de aumento), diminuir (mamoplastia redutora), levantar (mastopexia) ou, ainda, reconstruir os seios.

A cirurgia para elevação de mamas, também conhecida como mastopexia ou lifting de mamas, tem o objetivo de remodelar e levantar os seios, afinal, é natural que, com o tempo, as mamas sofram alterações em sua forma e consistência, tornando-as mais caídas. Nesse sentido, a técnica é aplicada justamente para reverter a chamada ptose mamária, ou seja, o caimento dos seios.

A cirurgia de redução mamária ou mamoplastia redutora é realizada para diminuir o tamanho e o volume das mamas. Costuma ser procurada por mulheres que apresentam dores nas costas e no pescoço e/ou tronco curvado que, inevitavelmente, ocasionam complicações na coluna da paciente.