Blog

Cirurgia para elevação de mama

A cirurgia para elevação de mamas, também conhecida como mastopexia ou lifting de mamas, tem o objetivo de remodelar e levantar os seios, afinal, é natural que, com o tempo, as mamas sofram alterações em sua forma e consistência, tornando-as mais caídas. Nesse sentido, a técnica é aplicada justamente para reverter a chamada ptose mamária, ou seja, o caimento dos seios.

A ptose mamária pode ser classificada em três graus: I, II e III, e é uma das queixas mais comuns entre as mulheres. As causas podem estar relacionadas a inúmeros fatores como emagrecimento, gravidez, amamentação, envelhecimento, distúrbios glandulares, atrofia pós-gestacional, fatores hereditários e menopausa.

A seguir, confira mais detalhes sobre como é feita a cirurgia para elevação das mamas e os tipos de incisões indicadas. Acompanhe!

Como é feita a mastopexia?


A mastopexia para corrigir a flacidez dos seios pode ser realizada sem a utilização de próteses, retirando somente o excesso de pele e reposicionando o tecido mamário para dar um novo contorno à mama. Durante o procedimento, o médico cirurgião também retira gorduras ou glândulas a fim de dar aos seios um bom formato.

A paciente também pode solicitar ao médico uma avaliação para checar a possibilidade de aumentar o tamanho dos seios durante o procedimento. Em cenários como esse, são utilizadas próteses redondas, naturais, anatômicas ou cônicas ou, ainda, os tecidos locais.

 

Leia também: Tipos e indicações de próteses mamárias


Atualmente, há diversas técnicas para elevar as mamas, variando de acordo com a distribuição de tecido, a consistência predominante (glandular ou gordurosa), grau de flacidez de pele, posição da aréola e altura dos sulcos submamários.

 

Tipos de incisões para cirurgias de elevação das mamas


A incisão pode ser periareolar, ou seja, ao redor da auréola; vertical, ligando a auréola ao sulco; ou incisão em L ou T invertido, ao redor da parte superior da aréola, direcionando-a para a lateral. A escolha do tipo de incisão é baseada no volume mamário, na quantidade de excedente de pele e na estrutura da paciente.


- Cirurgia para elevação de mama com incisão periareolar


Essa técnica é a menos invasiva, pois envolve somente a incisão na aréola. Entretanto, é indicada apenas para pacientes com mamas pequenas, que necessitam retirar pouca quantidade de pele e por isso é raramente adotada.


- Cirurgia para elevação de mama com incisão vertical


A incisão vertical ou “padrão de fechadura” se estende ao redor do topo da aréola e segue em formato de V até o sulco da mama. É adotada em casos de mulheres com flacidez de pele leve ou moderada, em que a aréola precisa subir e não há necessidade de retirar muita pele.


- Cirurgia para elevação de mama com incisão em T invertido


Este tipo de incisão vai da aréola até o sulco inframamário e proporciona um maior grau de elevação. Por isso é indicado para quem apresenta flacidez acentuada e necessita retirar uma grande quantidade de pele.

Fique atenta!

Cada tipo de incisão está indicado para um perfil de paciente. Portanto, é fundamental consultar um cirurgião plástico experiente e credenciado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) para solicitar uma avaliação detalhada.

Além disso, toda e qualquer cirurgia plástica deve ser feita em ambiente hospitalar exclusivos para esse tipo de procedimento para garantir maior segurança e conforto a pacientes e familiares.

Leia também: Exames pré-operatórios para cirurgia mamária

Assista ao vídeo da Dra. Leila Righi para saber mais sobre cirurgia para elevação de mama!

 
Agende sua avaliação na Clínica de Cirurgia Plástica Leila Righi em Curitiba!

Agende sua avaliação na Clínica de Cirurgia Plástica Leila Righi em Curitiba! A Clínica de Cirurgia Plástica Dra. Leila Righi oferece serviços nas áreas de cirurgia plástica, estética corporal, facial e fisioterapia. Aqui, cada paciente é tratado de forma individualizada e com toda atenção da equipe.